| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

JNP Online
Desde: 25/05/2018      Publicadas: 70      Atualização: 17/09/2019

Capa |  Charge  |  Cultura  |  Edição Impressa  |  Esportes  |  Geral  |  Literatura  |  Opinião  |  Polícia  |  Política  |  Sociais


 Literatura

  05/02/2019
  0 comentário(s)


Entrelinhas 1

Lançamentos / Reflexões

Lançamentos.

 

“Morrer sozinho em Berlim” – HANS FALLADA (1893-1947).

 

Explorando um caso real, o autor narra uma heroica história de resistência à ditadura nazista, protagonizada por um casal de operários. No romance um casal (Otto e Anna), inconformados após a morte do filho na 2ª guerra, decidem agir numa guerrilha de pequenos atos contra o regime. Descobertos pela Gestapo, são presos e executados.. (Editôra Estação Liberdade).

 

“Sobre isto (amor)” – VLADÍMIR MAIAKÓVSKI. – Editôra 34. Grande nome da poesia russa do séc. 20. O livro contém o longo poema que ele escreveu entre 1922/23 dedicado à sua musa Lília Brik. Foi um entusiasta da revolução russa. Escreveu versos, peças de teatro, letreiros e cartazes, roteiros para cinema, ensaios sobre teoria literária e artigos para a imprensa. Morreu em 1930, com 36 anos de idade.

 

Alguns versos: “Não estamos alegres/ é certo/Mas também por que razão/ haveríamos de ficar tristes?/ O mar da história/ é agitado/ as ameaças / e as guerras/havemos de atravessá-las/rompê-las ao meio/costeando-as/como uma quilha corta/as ondas.”

 

“ Ressuscita-me/para que a partir de hoje/a partir de hoje/a família se transforme/e o pai/seja pelo menos o universo/e a mãe/seja no mínimo a terra.’

 

O LIVRO PEDE SOCORRO.

 

A venda de livros atravessa grave crise. Recentemente duas das maiores livrarias do país pediram concordata, as livrarias Cultura e Saraiva. No Brasil 1% dos que lêem consomem apenas coisas digestivas, best sellers e autoajuda, não conhecem patavina de literatura, arranham alguns nomes de autores por ouvir falar e por leitura obrigatórias para o vestibular. Manter uma livraria como a Cultura, com um imenso catálogo de alta literatura, num país que não lê, é um risco enorme. Fechará lojas e demitirá funcionários, ainda assim será difícil uma recuperação.

 

Comentário.

 

O gosto pela leitura deve ser estimulado na infância. No meu caso desde a adolescência estive envolvido com livros, os didáticos obrigatórios e os da pequena biblioteca que meu pai salvou da enchente de 1941. Provavelmente irei acabar em meio a eles. Gosto mais dos que ainda não lí. Muitos deles não lerei. Ao fim, minha biblioteca será apenas de livros não lidos.

  Autor:   Juarez Cognato





Capa |  Charge  |  Cultura  |  Edição Impressa  |  Esportes  |  Geral  |  Literatura  |  Opinião  |  Polícia  |  Política  |  Sociais
Busca em

  
70 Notícias