| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

JNP Online
Desde: 25/05/2018      Publicadas: 47      Atualização: 17/04/2019

Capa |  Charge  |  Cultura  |  Edição Impressa  |  Esportes  |  Geral  |  Literatura  |  Opinião  |  Polícia  |  Política  |  Sociais


 Polícia

  17/03/2019
  0 comentário(s)


Assassino da cafeense Franziele Schaab começa a cumprir pena

Gilnei Boff, que cometeu crime em 2003, foi conduzido ao Presídio do Apanhador

Assassino da cafeense Franziele Schaab começa a cumprir pena

Na noite de sexta-feira, dia 15, o caxiense Gilnei Boff foi preso em Caxias do Sul pela Polícia Civil de Nova Petrópolis e por agentes do DRACO PC de Caxias do Sul em uma ação conjunta das duas entidades, as quais já estavam realizando monitoramentos há duas semanas. Gilnei já havia sido condenado pelo assassinato da cafeense Franziele Schaab, em júri popular realizado no fórum de Nova Petrópolis em junho de 2017. Como a defesa do réu havia recorrido para o Tribunal de Justiça de Porto Alegre, Gilnei aguardava o resultado do julgamento em liberdade. Com a confirmação pelo TJRS, ele começa agora a cumprir a pena imposta pelo Júri realizado em Nova Petrópolis naquela ocasião, do cumprimento da sentença de 17 anos e 6 meses de em regime fechado. Gilnei foi conduzido ao Presídio do Apanhador de Caxias do Sul.

CRIME E LONGAS TRAMITAÇÔES NA JUSTIÇA

O crime ocorrido em 2003 já havia sido julgado em 2010, onde o júri reconheceu que Gilnei foi o autor do disparo por arma de fogo, absolvendo-o pelo homicídio mas condenando-o pela morte do feto, já que a vítima estava grávida. Em 2013, no entanto, a então promotora de Nova Petrópolis, Tânia Bittencourt, recorreu da sentença e o caso foi reaberto. O caso continuou sendo conduzido pela então promotora Carla Pereira Rego Flores Soares. Em junho de 2017 em novo júri popular, Gilnei foi considerado culpado. O juiz Franklin de Oliveira Netto na ocasião leu a sentença, condenando o réu à 17 anos e 6 meses de prisão em regime fechado.
O crime na época causou comoção entre moradores de Nova Petrópolis e Picada Café. A vítima, que mantinha um relacionamento com Gilnei, foi morta com um tiro na cabeça no dia 18 de outubro de 2003 na ponte sobre o Rio Cadeia, em Picada Café, no caminho entre as localidades de Joaneta e Jammerthal.
Foto: Arquivo/JNP




  Mais notícias da seção Da redação no caderno Polícia
25/01/2019 - Da redação - PRF divulga balanço operacional de 2018 no RS: 20% menos mortes
Maior rigor na fiscalização de trânsito ajudou a reduzir o número de pessoas que perderam a vida nas estradas gaúchas...
07/01/2019 - Da redação - Menores são apreendidos por envolvimento com drogas
Jovens tem 14 e 17 anos de idade e estariam praticando comércio de entorpecentes no Bairro Piá...
04/01/2019 - Da redação - Novapetropolitano perde a vida em acidente em Dois Irmãos
Rodrigo Nienow, 30 anos, não resistiu aos ferimentos...



Capa |  Charge  |  Cultura  |  Edição Impressa  |  Esportes  |  Geral  |  Literatura  |  Opinião  |  Polícia  |  Política  |  Sociais
Busca em

  
47 Notícias